Atualmente no mercado são muitos tipos de monitores. Mais brilho, maior resolução, curvos… Mas como escolher o melhor produto? [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Com tantas dúvidas e termos técnicos, fizemos um guia para ajudar a esclarecer essas informações e auxiliá-lo na escolha.

Primeiro você deve levar em conta o seu uso e preferência. Se você (como eu) passa horas em frente ao monitor, isso pode refletir diretamente na sua saúde caso não escolha um produto adequado.

Os fabricantes estão cientes de que a experiência muda completamente em modelos diferentes. Especialmente quando pensamos em monitores para trabalho e para games (PC, Playstation, XBOX e outros).

Abaixo separei por tópicos para tentar facilitar a explicação. Boa leitura!

Preço e tamanho
O primeiro fator que a maioria das pessoas se preocupa é o tamanho. Nesse caso vai muito do espaço que você terá disponível na sua bancada/parede, e a distância que ficará do monitor. Muitos dizem que “quanto maior, melhor”, mas nem sempre isso é viável. O tamanho médio de um monitor comum varia entre 22 e 27 polegadas.

Guia do Monitor: Saiba tudo para escolher o modelo ideal
Um monitor de 49″ cabe na sua mesa?

Agora o preço. A variação pode ser muito grande em modelos aparentemente similares. Por isso é preciso prestar atenção em mais itens, como o tipo de painel, as tecnologias, sua frequência e a resolução. Mas antes de mais nada deve-se perguntar para o que você mais usará o monitor.

Por exemplo, você realmente precisa de um monitor com uma resolução altíssima, de 4K? Ou Full HD já é suficiente? E qual a melhor frequência? 240Hz, 144Hz, 75Hz ou 60Hz?

Alguns modelos tem tecnologias específicas voltadas para gamers, como é o caso do FreeSync da AMD e G-Sync da Nvidia. Estas tecnologias fazem com que os jogos fiquem mais fluidos na tela, sem quebrar os frames, ou seja, sem “tremidos” na imagem.

Para pessoas que trabalham no computador todos os dias, seja no escritório ou home office, um monitor com tecnologia Flicker Free / Flicker Safe (a tela não “pisca” e não causa a fadiga ocular) e redução de luz azul pode trazer um resultado melhor e ser mais confortável no uso.

Claro, um produto de qualidade não costuma ser barato, mas existem boas opções no mercado capazes de atender a todos os gostos (e bolsos). Mas calma pois temos mais itens importantes para analisar.

Ergonomia e Design
Como cada bancada/parede tem um tamanho diferente, opte por modelos que permitem a regulagem de altura e inclinação. Ah, e como beleza e design também são importantes, escolha um que ache bonito, afinal, irá olhar para ele por bastante tempo. Hoje temos modelos bem interessantes, praticamente sem bordas.

Resolução da Tela
Isso significa a quantidade de pontos (pixels) que a sua tela possui. Um modelo FullHD possui 1920 x 1080 pontos, enquanto um monitor 4K possui 4096 x 2160 pontos (e hoje já estamos falando em resolução 8K, com 7680 x 4320 pontos). Quanto maior a resolução, mais detalhada a imagem ficará (mas atenção, o ideal é que a fonte do sinal – TV, computador ou videogame – consiga “abastecer” todos esses pontos, ou sua imagem poderá ficar “borrada”).

Guia do Monitor: Saiba tudo para escolher o modelo ideal
A evolução da resolução

Resoluções e telas maiores oferecem mais benefícios caso utilize para atividades gráficas; assistir ou editar vídeos e fotos, jogos e fotografia. Pode também aumentar a produtividade no trabalho de programadores e escritores, que colocam muitas informações simultaneamente na tela.

Formato da Tela (Aspect Ratio)
Antigamente os aparelhos de TV de tubo tinham a proporção 4:3, mais quadradas. A proporção 16:9 é o padrão das TVs atuais, a mais comum e recomendada, porém a proporção 21:9 está ganhando espaço no mercado, especialmente pra quem não quer colocar mais de um monitor lado a lado. São aquelas telas mais largas, no formato widescreen ou “ultrawide”.

Guia do Monitor: Saiba tudo para escolher o modelo ideal
Formatos de tela

Taxa de Atualização da Tela (Refresh Rate)
Esse é um ponto que pode confundir as pessoas. A taxa de atualização significa a quantidade de quadros que o monitor pode exibir por segundo. O padrão é 60Hz, ou seja, 60 imagens por segundo (como a sua TV), e quanto maior esse número, mais fluida será a imagem, sem aquele efeito de “borrão” em imagens rápidas e especialmente  jogos.

Para gamers essa é a principal característica que se deve olhar junto com tempo de resposta (que falarei a seguir). Quanto maior a taxa de atualização do painel, mais suave e sem cortes serão as cenas. Recomendo taxas acima de 75Hz para gamers (o ideal é  pelo menos 144Hz ). Para o uso geral e profissional 60Hz já são suficientes.

Guia do Monitor: Saiba tudo para escolher o modelo ideal
Diferença da taxa de atualização

Tempo de Resposta (ms)
É o tempo que o monitor leva para mostrar as imagens que são processadas no computador/placa de vídeo. Quanto menor esse número, mais rápida será essa “conversa” da máquina com o seu monitor. Para gamers isso é muito importante, principalmente nos chamados “jogos FPS”, em que uma pequena fração de segundo pode decidir uma partida. Por isso monitores voltados para jogos costumam ter 1 milissegundo de tempo de resposta (1ms). Já para uso profissional e geral, o ideal é que esse valor seja de até 8 milissegundos (8ms).

Quando o monitor tem um tempo de resposta alto (como os modelos mais antigos), é comum observar o efeito chamado de “ghosting”, ou imagens borradas quando cenas são demasiadamente rápidas. Isso pode ocorrer tanto em jogos quanto vídeos.

Fidelidade de cores
Essa especificação é voltada para designers, arquitetos, fotógrafos e editores precisam de cores extremamente precisas. Procure por painéis IPS que ofereçam 99-100% da gama sRGB, 90% DCI-P3 e HDR. Assim terá cores fiéis tanto na tela quanto nos softwares de edição.

Tecnologias dos painéis (VA, TN, IPS)
Aqui outro ponto que pode confundir os mais leigos. São três tecnologias usadas na construção dos monitores, e a principal diferença está nos ângulos de visão e a satuação de cor dos painéis. Todos eles são retroiluminados por LCD/LED.

Guia do Monitor: Saiba tudo para escolher o modelo ideal

– Painel Twisted Nematic (TN): Alta resposta, baixo tempo de atualização e excelente nível de contraste. Mas oferecem menor saturação de cores e ângulos de visão. Melhor para gamers.

– Painel In-plane Switching ou Plane-Line Switching (IPS/PLS): Oferecem maior gama de cores, melhor ângulo de visão, mas tempo de resposta maior que monitores VA. É melhor para editores de vídeos, designers e fotógrafos.

– Painel Vertical Alignment (VA): É o meio termo entre qualidade de imagem, tempo de resposta e taxa de atualização. Melhor para uso geral.

Telas curvas ou normais
Outra dúvida comum, vale a pena um monitor curvo? Depende muito do usuário e de quanto ele quer gastar, pois geralmente são um pouco mais caros. Telas curvas são melhores por oferecer maior imersão e ângulos de visão, pois imitam o campo de visão dos nossos olhos.

Cores, Brilho e Contraste
O mínimo que você deve esperar de um monitor é que ele reproduza todas as 16.7 milhões de cores (8-bits) do padrão RGB, e felizmente todos os modelos atuais atendem.

O brilho do monitor é extremamente importante caso tenha muita luz no seu ambiente. É utilizada a medida “nits” para definir a capacidade de brilho de um monitor. Qualquer valor acima de 250 nits é bom o suficiente para a maioria das pessoas.

Para designers e edição de fotos/vídeos, os monitores com mais brilho costumam atender melhor as exigências do trabalho. Neste caso procure por monitores acima de 300 nits, que vão conseguir reproduzir cores mais ricas e precisas. O ponto negativo é que quanto mais nits, mais caro é o monitor.

O ajuste de contraste é muito importante tanto para profissionais gráficos quanto gamers. A definição é a diferença entre a iluminação do branco mais brilhante com o preto mais escuro que a tela consegue reproduzir. Especialistas dizem que os melhores monitores têm um contraste real a partir de 350:1, mas quanto maior esse número, melhor.

Muitos fabricantes de monitores estão usando tecnologias de contraste adaptável ou dinâmico. São utilizados sensores para definir o contraste recomendado dependendo da iluminação ambiente e atividade da tela. Essas tecnologias são conhecidas como “Dynamic Contrast Ratio” ou “Advanced Contrast Ratio”, e estão presentes nos melhores monitores gamers, porém não se iluda com números elevados, como 50.000.000:1, pois esses na verdade não condizem com a realidade.

Guia do Monitor: Saiba tudo para escolher o modelo ideal
Diferenças com o contraste dinâmico

Conexões
As entradas devem ser compatíveis com seu computador, videogame ou mesmo um projetor. As conexões mais recentes utilizadas são DVI, HDMI, DisplayPort e ThunderBolt. Modelos mais antigos tem ainda a conexão VGA (assim como projetores antigos), em que a imagem transmitida é de menor qualidade. A grande maioria já utiliza como padrão a conexão HDMI.

Acessórios
Alguns monitores têm características simples que os diferenciam de versões mais baratas. Por exemplo, regulagem de altura, giro e angulação. Coisas pequenas que podem aumentar muito a ergonomia e melhorar bastante o conforto durante o uso.

É possível encontrar monitores com telas touch (touchscreen). Porém, essas somente são recomendadas caso você esteja muito próximo da tela.

Ah, alguns monitores vêm com alto-falantes embutidos, que embora não sejam potentes, dispensam as caixinhas de som e economizam espaço na mesa.

Conclusão
Como pode ver há diversos itens para se levar em conta na hora de escolher um monitor. Sabendo o quanto quer gastar e para qual finalidade irá utilizar o monitor facilita muito na hora da escolha do melhor produto.

 

[/read]
 

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Guia do Monitor: Saiba tudo para escolher o modelo ideal

 

Veja também
Gosta de vinhos? Confira essas dicas de Enoturismo na América do Sul
WhatsApp Web receberá recurso para chamadas de vídeo com até 50 participantes
Ensino universitário e mercado de trabalho: mind the gap