Definitivamente o mobile banking é o canal preferido dos correntistas, tanto para realizar transações, fazer consultas e mesmo para abrir novas contas digitais. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Os dados da Pesquisa de Tecnologia Bancária 2019 da FEBRABAN, divulgada na última terça-feira (7), baseadas em dados de 2018 de 20 bancos associados, incluindo os 5 maiores de país, mostra que número de transações bancárias feitas pelo celular cresceu 24% em relação ao ano anterior.

O aumento na quantidade de transações com movimentações financeiras por celular chegou a quase 80% no ano passado.

Em 2018, 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências, incluindo DOC e TED, foram realizados por meio do mobile banking, que, pela primeira vez, superou o internet banking na preferência do brasileiro nessas operações. Hoje, de cada 10 transações, com ou sem movimentação financeira, 6 são feitas por meios digitais – celular ou computador.

O número de contas digitais abertas via smartphone registrou um boom: foram 2,5 milhões em 2018 ante 1,6 milhão no ano anterior. O internet banking não fica atrás nesse quesito, já que registrou a abertura de 434 mil contas no ano passado, bem acima das 26 mil, em 2017.

Também houve um forte incremento de 60% na contratação de crédito por aplicativos de celular; e os investimentos e aplicações feitas pelo mesmo canal cresceram 36%.

Esse movimento é reflexo da praticidade de uso, da segurança e da conveniência oferecidas pelo canal, que foi responsável por 40% do total de operações bancárias efetuadas no ano passado – levando-se em conta as transações feitas em agências, via internet banking, autoatendimento, pontos de venda no comércio, correspondentes no país e pelo telefone.

Para efeito de comparação, em 2014 o mobile banking respondia por apenas 10% das operações.

Transações bancárias com movimentações financeiras
Ainda de acordo com o estudo, o número de transações bancárias com movimentações financeiras cresceu cerca de 33%. O avanço de 80% na quantidade de transações com movimentações financeiras por celular foi puxado, principalmente, pelo crescimento número de contas pagar por esse canal (que chegou a 1,6 bilhão, em 2018) e de 119% na quantidade de DOCs, TED e outras transferências de quantias em contas bancárias (862 milhões).

O brasileiro também contratou mais crédito pelo celular: foram 359 milhões de contratações em 2018, com aumento de 60% em relação ao ano anterior.

As transações com movimentação de dinheiro em contas bancárias realizadas pelos POS (pontos de venda no comércio, as chamadas maquininhas) ultrapassam aquelas realizadas nas agências, o que reforça a tendência mundial do uso dos canais eletrônicos.

Para o diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da FEBRABAN, Gustavo Fosse, a opção pelo mobile ajudou a manter a tendência de alta no total de transações bancárias em todos os canais, que saltaram de 71,8 bilhões em 2017 para 78,9 bilhões, no ano passado.

Investimentos em 2018
Os gastos com tecnologia bancária, incluindo despesas e investimentos, continuaram consistentes e somaram R$ 19,6 bilhões no ano passado, um crescimento de 3% em relação ao último ano. Desse total, R$ 10 bilhões foram destinados a software, reforçando o foco das instituições bancárias no desenvolvimento de novas funcionalidades em serviços e produtos dos bancos.

Fosse salienta que o crescimento de 3% revela o ganho de eficiência das instituições financeiras; uma substituição de aquisição de infraestrutura por serviços na nuvem, que é considerado como serviços, entre outros ganhos.

Em relação aos investimentos previstos para os próximos anos pelos bancos, destacam-se as soluções de inteligência de dados em suas operações: 80% dizem planejar investimentos em big data/analytics; e 73% investirão em inteligência artificial e computação cognitiva. O setor bancário é, junto com o governo, o que mais investe em tecnologia no Brasil.

A Pesquisa também aponta ainda que as comunicações feitas digitalmente também cresceram de maneira considerável. As interações feitas entre clientes e bancos por web-chat tiveram um crescimento de 364%, e chegaram a 138,3 milhões no ano passado. Já os atendimentos via chatbot passaram de 3 milhões, em 2017, para 80,6 milhões no ano passado, ou seja, aumentaram 2.585%.

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Mobile banking cresce 24% em 2018 e se firma como canal preferido dos correntistas

Veja também
Conheça 10 tecnologias utilizadas pelos bancos em 2019
Banco do Brasil é o primeiro banco a permitir saque pelo WhatsApp
Itaú Unibanco, Rede e PayPal anunciam parceria visando ampliar atuação no e-commerce