A Rodovia Presidente Dutra, “Via Dutra”, registrou 65% nos registros de acidentes com vítimas fatais em 18 anos. O balanço foi divulgado pela CCR Nova Dutra, concessionária que administra o trecho desde 1996.

Na comparação, as mortes caíram de 520 ocorrências, em 1996, para 184, registradas ano passado. Considerando o aumento progressivo no volume de tráfego na Via Dutra, a redução na mortalidade chega a 73%. Atualmente, 873 mil veículos passam todos os dias nos 402 quilômetros da rodovia. A redução no quadro de acidentes com vítimas fatais é atribuído em partes às ações da concessionária.

A CCR, conforme exigido como contrapartida em contratos de concessões, instalou postos de assistência médica e mecânica 24 horas aos passageiros e motoristas usuários da via. Também foram feitas melhorias na rodovia ao longo do período de exploração comercial. Anteriormente, os motoristas estavam mais vulneráveis devido às condições da pista, a falta e muros de separação das faixas e sinalização deteriorada.

A rodovia recebeu ainda obras de pavimento, de ampliação da capacidade de tráfego, a implantação de passarelas e instalação de controladores de velocidade. Campanhas educativas também ajudaram a reduzir a violência na estrada.

Operação até o carnaval
A Polícia Rodoviária Federal iniciou no dia 12 de dezembro do ano passado e estenderá até 22 de fevereiro uma operação das rodovias do país de prevenção a acidentes de trânsito, que têm aumento natural nos períodos festivos até o Carnaval.

Os trabalhos serão feitos em duas etapas. A primeira, de 12 de dezembro de 2014 à 31 de janeiro de 2015 e, a segunda, de 6 à 22 de fevereiro de 2015.

O segundo intervalo terá maior atenção da PRF devido ao intenso movimento nas rodovias por conta da pausa para a retomada do Carnaval e período das férias escolares. Ações simultâneas e conjuntas em locais e horários pré-definidos visam aumentar a presença e a disponibilidade dos órgãos públicos nas rodovias proporcionando segurança, conforto e fluidez.

A corporação fará a operação com o auxílio da Casa Civil e de órgãos estaduais e municipais com meta de alcançar a proposta feita pela Organização das Nações Unidas (ONU) ao Brasil de reduzir pela metade o número de mortos por acidentes de trânsito. Toda operação é baseada em dados estatísticos do trânsito para dimensionar as ações de prevenção, orientação, fiscalização e socorro às vítimas.

Em dez anos, acidentes de trânsito no Brasil fizeram 536 mil vítimas fatais, segundo pesquisa do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Coppe-UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Os dados, de 2003 a 2012, têm como base o DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres).

Entre 2003 e 2007, as mortes tiveram aumento de 100% – de 34,7 mil para 66,8 mil, na comparação. Em 2012 houve 60,7 mil mortes e em 2013, recuo para 54 mil. Pesquisa do Ministério da Saúde revela que a cada hora o trânsito faz cinco vítimas fatais, um aumento de 3,4% se confrontados com os índices de 2013.