O Dia das Crianças está chegando e se o seu filho está querendo ganhar um celular novo ou até mesmo trocar aquele notebook ou tablet por um modelo mais atual, saiba que também é uma oportunidade para falar sobre os riscos aos quais eles estão expostos na internet. Atualmente, 87% das crianças entre os 9 e 17 anos possuem perfil em mídias sociais e seu primeiro acesso ao mundo virtual é normalmente com seis anos de idade. O dispositivo que é mais usado por eles para acessar à internet é o celular (82%), seguido do computador de mesa (56%). [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Diante dessa nova realidade, muitos pais têm o desafio de repensar a educação relacionada ao uso dos dispositivos móveis com segurança, sem deixar de curtir as coisas que eles mais gostam de fazer quando estão navegando na internet (jogar, escutar músicas, visitar as redes sociais, etc.).

Por isso, de acordo com Reinaldo Matukuma, Mobile Software Manager da Blockbit, é muito importante para os pais e responsáveis ficarem atentos com algumas situações:

Mantenha o antivírus atualizado: O primeiro passo é escolher um antivírus eficiente para o dispositivo do seu filho. É importante que o app seja capaz de identificar ameaças já existentes, além de novas ameaças que aparecem todos os dias. É importante também garantir que todos os escaneamentos disponíveis estejam ativos, para dar mais segurança na navegação. Quando o seu antivírus estiver corretamente atualizado, ele poderá detectar ameaças e combatê-las antes de cair na mão dos mais jovens.

Acompanhe suas atividades na mídia social: Os jovens nativos digitais não compreendem a importância de cuidar da informação. Portanto acompanhe suas mídias sociais, ensinando-os a fazer uso responsável delas e a relevância de não trocar informações pessoais com pessoas desconhecidas.

Monitore as aplicações baixadas nos dispositivos: Muitos aplicativos parecem ser atraentes demais para as crianças, sem deixar perceber as ameaças que trazem. O antivírus ideal irá monitorar riscos em novos aplicativos, mas também em arquivos para a plataforma Windows, que são frequentemente executados em Android.

Crie perfis de usuário: Nas lojas de aplicativos você pode vincular um perfil de usuário para a criança vinculado ao um perfil de um responsável. Dessa maneira, você acompanha as solicitações de instalação de aplicativos a partir do perfil do seu filho, podendo aprovar ou recusar que sejam instaladas. É uma maneira eficiente de antecipar-se a instalação de aplicativos de gosto duvidoso ou não indicados para a faixa etária da criança. Para o Windows, é possível criar um perfil usando uma conta Microsoft para seu filho, associando também com a sua conta Microsoft, de forma a receber por email, semanalmente, relatórios de uso, pesquisas realizadas e aplicações instaladas no notebook da criança.

Dialogue sobre os riscos na internet: Diante do cenário digital atual, é difícil proibir o uso da internet, mas é importante dialogar com as crianças sobre os riscos do mundo virtual. Ensiná-los e orientá-los em direção uma cultura de proteção e uso responsável da ferramenta, não só com palavras, também é necessário o exemplo.

Acompanhe as atividades virtuais: Não precisa virar um policial, mas é importante acompanhar os mais novos nas suas atividades virtuais, eles não dimensionam o poder dos criminosos.

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Presente eletrônico no Dia das Crianças? Confira as dicas para proteger a criançada dos cibercriminosos