Home Tech Câmara analisa instalação obrigatória em ônibus de pontos de recarga de celular

Câmara analisa instalação obrigatória em ônibus de pontos de recarga de celular



Ônibus utilizados no serviço de transporte público podem ter tomadas elétricas para recarga e de celulares, tablets e outros dispositivos móveis. A exigência, prevista no Projeto de Lei nº 8089/14, tramita na Câmara dos Deputados e altera a Política Nacional de Mobilidade Urbana, instituída na Lei nº 12.587/12.

A exigência das tomadas, a partir da aprovação do projeto, deverá ser incluída nas metas de qualidade dos contratos de concessão do serviço. As empresas terão o prazo de um ano para adequarem-se.

Na justificativa, os celulares e smartphones tornaram-se populares e úteis para usuários do transporte coletivo no período de viagem, às vezes prolongado por congestionamentos, para atividades com ler, assistir filmes ou comunicar-se com outras pessoas.

Algumas empresas de ônibus já oferecem veículos com tomadas elétricas para que o usuário recarregue o celular. “Trata-se de um item de conforto muito importante para os passageiros, que deveria ser universalizado, visto que não representa um aumento significativo no preço do veículo”, cita a justificativa.



O PL é analisado pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Ar-condicionado
Diante das altas temperaturas, os municípios de São Paulo e Fortaleza passaram a exigir das empresas de ônibus a instalação gradativa de equipamentos de ar-condicionado nos veículos. Na capital cearense, a estimativa é de que 100% da frota tenha sistema de climatização até 2020.

Já em São Paulo, Portaria nº 009/15 baixada pelo prefeito Fernando Haddad não prevê prazo para que todos os veículos tenham ar-condicionado. Os critérios para instalação dos equipamentos e os prazos para viabilizar sua implementação serão definidos pela São Paulo Transporte S.A. (SPTrans).

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss) informou por meio de nota que a entidade e suas associadas procuram “melhorar a qualidade dos serviços prestados aos seus clientes, propiciando mais conforto e segurança aos passageiros em suas viagens”.

A entidade reforça que a aquisição de veículos equipados com ar condicionado já foi adotada na capital paulista. Atualmente, cerca de 70 veículos circulam pela cidade com o sistema de refrigeração e que outros entrarão em operação gradativamente. “A decisão social de atender essa demanda dos passageiros, já está tomada pelas empresas e pelo poder público. Cabe, agora, aguardar os critérios de engenharia e economia, que deverão ser definidos pela SPTrans (São Paulo Transporte)”, conclui.

Previous articleOracle Social Cloud expande alcance. E…?
Next articleNo RS, somente 8,4% dos estrangeiros multados pagaram débitos em 2014